English version
N.º 28
2018
pp. 57-66

 

< Anterior Seguinte >

Intervenção
Conservação, salvaguarda e valorização do Património Arquitetónico: opções, fases e suas vicissitudes

Miguel Malheiro1,, Augusto Costa2

1 Universidade Lusíada Norte, Rua Dr. Lopo de Carvalho, 4369-006 Porto, Portugal

2 Arquiteto, Rua Pereira de Novais, 237, 1.º dto., 4100-405 Porto, Portugal

* miguel_malheiro@sapo.pt

Resumo

A conservação e salvaguarda do Património Arquitetónico é um processo composto por várias fases cuja orientação metodológica e doutrinal se encontra suficientemente expressa nas várias cartas, convenções internacionais e legislação portuguesa. No entanto, a aplicação destas premissas em imóveis com uma grande complexidade funcional, formal e estilística, deve-se alargar ao todo edificado a que se associa o intangível das vivências e das rugas do tempo. As partes removidas ou as partes acrescentadas são também objeto de salvaguarda como um todo significativo, mesmo quando sobrepostas a uma estrutura de uma outra época, por gosto ou regra diferenciada, podendo consubstanciar leituras difusas nas opções a tomar na intervenção a levar a cabo. O artigo aborda este tema numa realidade concreta, o projeto de conservação, salvaguarda e valorização da Catedral de Beja, debatendo os princípios orientadores e a metodologia gerada no processo de conhecimento, reflexão, projeto e execução em obra, destacando o processo de intervenção no Património Arquitetónico e as vicissitudes a ele associados.

Palavras-chave

Património Arquitetónico
Metodologias de intervenção
Conservação e salvaguarda
Catedral de Beja

Idioma

Português

DOI

10.14568/cp2017025

Download

PDF

Importar referência

RIS | Endnote

Citação

Conservar Património | APA | Chicago | NP405 | ABNT

Conservar Património:
Malheiro, M.; Costa, A., 'Conservação, salvaguarda e valorização do Património Arquitetónico: opções, fases e suas vicissitudes', Conservar Património 28 (2018) 57-66, https://doi.org/10.14568/cp2017025.

APA:
Malheiro, M., & Costa, A. (2018). Conservação, salvaguarda e valorização do Património Arquitetónico: opções, fases e suas vicissitudes. Conservar Património, 28 57-66. DOI:10.14568/cp2017025.

Chicago:
Malheiro, Miguel, and Augusto Costa. 2018. "Conservação, salvaguarda e valorização do Património Arquitetónico: opções, fases e suas vicissitudes." Conservar Património 28:57-66. doi:10.14568/cp2017025.

NP405:
MALHEIRO, Miguel; COSTA, Augusto – Conservação, salvaguarda e valorização do Património Arquitetónico: opções, fases e suas vicissitudes. Conservar Património. [Em linha]. 28 (2018) 57-66 [Consult. ]. Disponível em WWW: <URL:https://doi.org/10.14568/cp2017025>. ISSN 21829942.

ABNT:
MALHEIRO, Miguel; COSTA, Augusto. Conservação, salvaguarda e valorização do Património Arquitetónico: opções, fases e suas vicissitudes. Conservar Património, Lisboa, v. 28, p. 57-66, 2018. Disponível em: <https://doi.org/10.14568/cp2017025>. Acesso em: .

História

Recebido: 2017-4-21
Revisto: 2017-5-19
Aceite: 2017-12-19
Online: 2018-1-16

Referências

1 Costa, A., Malheiro, M., Costa, A., Martins, A., 'Projeto para a conservação, salvaguarda e valorização do conjunto edificado. Sé Catedral de Beja, Beja, Beja, Santiago Maior. Projeto de execução' (2012).

2 'Carta de Veneza. Carta internacional sobre a conservação e o restauro de monumentos e sítios' (1964), in Património Cultural, Direção-Geral do Património Cultural, http://www.patrimoniocultural.gov.pt/media/uploads/cc/CartadeVeneza.pdf (acesso em 2017-3-30).

3 Moreno-Navarro, A. G., La Restauración Objetiva (Método SCCM e Restauración Monumental), 3 vols., Diputación de Barcelona, Barcelona (1999).

4 'Lei n.º 107/2001', Diário da República - I Série-A, 208 (8 de setembro de 2001) 5808-5829, http://data.dre.pt/eli/lei/107/2001/09/08/p/dre/pt/html.

5 'Decreto-lei n.º 18/2008', Diário da República - 1.ª série, 20 (29 de janeiro de 2008) 753-852, http://data.dre.pt/eli/dec-lei/18/2008/01/29/p/dre/pt/html.

Endereço persistente: https://doi.org/10.14568/cp2017025


< Anterior Seguinte >
ARP | Associação Profissional de Conservadores-Restauradores de Portugal