English version
N.º 23
2016
pp. 55-61

 

< Anterior Seguinte >

Artigo
O recozimento de azulejos à luz da abordagem teórica ao restauro

João Manuel Mimoso1,*, Antonina Chaban2

1 Laboratório National de Engenharia Civil - LNEC, Avenida do Brasil 101, 1700-066 Lisboa, Portugal

2 Universidade de Pádua, Pádua, Itália

* jmimoso@lnec.pt

Resumo

Um trabalho exploratório realizado pelo LNEC em 2012 mostrou que o recozimento dos azulejos era tecnicamente viável como opção de restauro. O recozimento de azulejos de fachada enquanto alternativa à sua alienação não parece dever suscitar dúvidas de princípio. No entanto a simples perspectiva de se reabrir o processo tecnológico de fabricação em alto fogo conduz a argumentações metodológicas que não têm paralelo no caso dos restauros a frio. Esta comunicação aborda a questão do recozimento dos azulejos à luz da abordagem teórica ao restauro, mostrando que o processo não pode ser afastado com base em princípios sem se considerarem especificamente os casos em apreço e os ganhos expectáveis. Mas, apesar de não se terem identificado consequências danosas, a eventual aplicação do método a azulejos que não possam ser considerados um produto industrial carece ainda de estudos complementares quanto à perigosidade no longo prazo.

Palavras-chave

Azulejos
Restauro de azulejos
Recozimento
Teoria do Restauro

Idioma

Português

DOI

10.14568/cp2015044

Download

PDF

Importar referência

RIS | Endnote

Citação

Conservar Património | APA | Chicago | NP405 | ABNT

Conservar Património:
Mimoso, J. M.; Chaban, A., 'O recozimento de azulejos à luz da abordagem teórica ao restauro', Conservar Património 23 (2016) 55-61, https://doi.org/10.14568/cp2015044.

APA:
Mimoso, J. M., & Chaban, A. (2016). O recozimento de azulejos à luz da abordagem teórica ao restauro. Conservar Património, 23 55-61. DOI:10.14568/cp2015044.

Chicago:
Mimoso, João Manuel, and Antonina Chaban. 2016. "O recozimento de azulejos à luz da abordagem teórica ao restauro." Conservar Património 23:55-61. doi:10.14568/cp2015044.

NP405:
MIMOSO, João Manuel; CHABAN, Antonina – O recozimento de azulejos à luz da abordagem teórica ao restauro. Conservar Património. [Em linha]. 23 (2016) 55-61 [Consult. ]. Disponível em WWW: <URL:https://doi.org/10.14568/cp2015044>. ISSN 21829942.

ABNT:
MIMOSO, João Manuel; CHABAN, Antonina. O recozimento de azulejos à luz da abordagem teórica ao restauro. Conservar Património, Lisboa, v. 23, p. 55-61, 2016. Disponível em: <https://doi.org/10.14568/cp2015044>. Acesso em: .

História

Recebido: 2015-12-28
Revisto: 2016-7-12
Aceite: 2016-7-14
Online: 2016-7-25
Publicação: 2016-7-28

Referências

1Mimoso, J. M.; Pereira, S.; Esteves, L., 'A matter of strength - measuring the glaze-biscuit adherence in Portuguese tiles', in Proceedings of the International Congress - Azulejar, Universidade de Aveiro, Aveiro (2012) CD-ROM.

2 Chaban, A.; 'Restoration of semi-industrial glazed ceramic tiles by re-firing', dissertação de mestrado, Universidade de Bolonha, Bolonha (2015).

3 Chaban, A.; Pereira, S.; Esteves, L.; Peddis, F.; Mimoso, J. M., 'Restoration of semi-industrial glazed ceramic tiles by re-firing', in Proceedings of GlazeArch 2015, LNEC, Lisboa (2015) 185-195.

4 Brandi, C., Teoria do Restauro, Edições Orion, Amadora (2006).

5 Mimoso, J. M., 'Cesare Brandi's Theory of Restoration and azulejos', in Proceedings of the International Seminar on Conservation of Glazed Ceramic Tiles: Research and Practice, LNEC, Lisboa (2009) CD-ROM.

Endereço persistente: https://doi.org/10.14568/cp2015044


< Anterior Seguinte >
ARP | Associação Profissional de Conservadores-Restauradores de Portugal