Versão em português
N.º 35
2020
pp. 131-140

 

< Previous Next >

Note
Ad futuram Regis memoriam. The conservative history of King Dinis' tomb: myths and reality

Giulia Rossi Vairo 

IEM - Instituto de Estudos Medievais, NOVA - Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Colégio Almada Negreiros, Campus de Campolide, 1070-312 Lisboa; CIEBA - Centro de Investigação e Estudos em Belas-Artes, FBAUL - Faculdade de Belas-Artes, Largo da Academia Nacional de Belas Artes 4, 1249-058 Lisboa

grossivairo@fcsh.unl.pt

Abstract

Based on the research done so far, this paper aims at providing a brief excursus on the conservative history of King Dinis' tomb, a unicum in the Portuguese art scene of the first half of the 14th century and an emblematic piece of medieval European sculpture. On the other hand, this article calls into question some affirmations transmitted in an uncritical way over the years by Portuguese artistic historiography. Thus, notations, considerations and reasoning are formulated based on the visual and material evaluation of the artwork, as well as on the analysis of the historical context. The aim is to revisit the existing literature on the restoration of the monument and to quantify the interventions and damage suffered by the tomb, either as a result of natural disasters or by the hand of man.

Keywords

Tomb of King Dinis
Medieval sculpture
History of restoration
Conservation intervention

Language

Portuguese

Original title

Ad futuram Regis memoriam. A história conservativa do túmulo do rei D. Dinis: mitos e realidade

DOI

10.14568/cp2018076

Download

PDF

Download citation

RIS | Endnote

Citation

Conservar Património | APA | Chicago | NP405 | ABNT

Conservar Património:
Rossi Vairo, G., 'Ad futuram Regis memoriam. A história conservativa do túmulo do rei D. Dinis: mitos e realidade', Conservar Património 35 (2020) 131-140, https://doi.org/10.14568/cp2018076.

APA:
Rossi Vairo, G. (2020). Ad futuram Regis memoriam. A história conservativa do túmulo do rei D. Dinis: mitos e realidade. Conservar Património, 35 131-140. DOI:10.14568/cp2018076.

Chicago:
Rossi Vairo, Giulia. 2020. "Ad futuram Regis memoriam. A história conservativa do túmulo do rei D. Dinis: mitos e realidade." Conservar Património 35:131-140. doi:10.14568/cp2018076.

NP405:
ROSSI VAIRO, Giulia – Ad futuram Regis memoriam. A história conservativa do túmulo do rei D. Dinis: mitos e realidade. Conservar Património. [Em linha]. 35 (2020) 131-140 [Consult. ]. Disponível em WWW: <URL:https://doi.org/10.14568/cp2018076>. ISSN 21829942.

ABNT:
ROSSI VAIRO, Giulia. Ad futuram Regis memoriam. A história conservativa do túmulo do rei D. Dinis: mitos e realidade. Conservar Património, Lisboa, v. 35, p. 131-140, 2020. Disponível em: <https://doi.org/10.14568/cp2018076>. Acesso em: .

History

Received: 2018-12-10
Revised: 2019-12-5
Accepted: 2020-2-13
Online: 2020-5-30

References

1 Rossi Vairo, G., 'D. Dinis del Portogallo e Isabel d'Aragona in vita e in morte. Creazione e trasmissione della memoria nel contesto storico e artistico europeo', Tese de Doutoramento em História da Arte Medieval, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa (2014).

2 Rossi Vairo, G., 'Un caso emblematico (e dimenticato) della scultura funeraria trecentesca europea: il monumento funebre del re Dinis di Portogallo (1279-1325)', Arte Medievale (2017) 167-192.

3 Os túmulos de D. Dinis e do Infante. Um Novo Olhar, catálogo da exposição, Câmara Municipal de Odivelas, Odivelas (2017).

4 Arquivo Nacional da Torre do Tombo (ANTT), Memórias Paroquiais de 1758, fls. 59-69.

5 Borges de Figueiredo, A., O Mosteiro de Odivelas. Casos de reis e memórias de freiras, Livraria Ferreira, Lisboa (1889).

6 4K - Wilton Trindade, S., Relatório da intervenção dos túmulos de D. Dinis e do Infante na Igreja do Mosteiro de São Dinis e São Bernardo em Odivelas, Lisboa (2017).

7 Sousa, A. C., Provas da História genealógica da Casa real portuguesa, Atlântida - Livraria Editora, Coimbra (1946-1957).

8 Cardoso, G., Agiológio Lusitano, Officina Craesbeekiana, Lisboa (1652).

9 Rossi Vairo, G., 'Um caso de "circulação" e "transformação" de património integrado: o túmulo do rei D. Dinis', in Dinâmicas do Património Artístico. Circulações, Transformações e Diálogo, eds. C. Moura Soares & V. Mariz, ARTIS - Instituto de História da Arte da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, Lisboa (2018) 295-303.

10 Cordeiro de Sousa, J. M., 'Malfeitorias no túmulo do rei dom Dinis', Revista de Guimarães, 76(1966), 2-7.

11 'O corpo do rei D. Deniz encontra-se ainda no seu túmulo de Odivelas', O Século, 16 de maio de 1938.

12 Matos Sequeira, G., 'O pano de seda da mortalha do rei D. Deniz é um precioso documento têxtil do século XIV', O Século, 2 de Junho de 1938.

13 Soares Moura, C.; Neto, M. J., Almeida Garrett: a 'Viagem' e o Património, Caleidoscópio, Lisboa (2015).

14 Almeida Garrett, J., Lyrica de João Mínimo. Publicada pelo auctor do resummo de Historia, de Lingua e Poesia Portugueza, do Poema Camões, D. Branca, Adozinda, etc., Sustenance e Stretch, London (1829).

15 Jornal das Belas Artes, s. n. (1843-44), 38.

16 Cordeiro de Sousa, J. M., 'Malfeitorias no túmulo do rei dom Dinis', Revista de Guimarães, 76(1966), 5.

17 Arquivo Pitoresco, 5(1862), 77-79.

18 ANTT, Ministério das Obras Públicas, Comércio e Indústria, maço 442, 10: Restauração do túmulo d'El-Rei D. Dinis no convento de Odivellas (1895, Agosto, 12, Lisboa).

19 Barbosa Vilhena, I., 'Crónica de Odivellas', O Occidente, 9(278) (1886), 203-204.

Stable url: https://doi.org/10.14568/cp2018076

ARP | Associação Profissional de Conservadores-Restauradores de Portugal